sexta-feira, 22 de junho de 2012

CAVALO DE TRÓIA

Consumimos tecnologia ou ela nos consome?

A compra de qualquer produto dentro de uma casa, onde o que impera é a comunicação, importante é o poder do convencimento, mesmo sabendo que tal produto pode agradar mais a um do que o outro...

― Mô, comprei umas panelas que são a nossa cara, modernas, práticas, esmaltadas e muito bonitas; cozinham nossas refeições em instantes, sem deixar queimar, enquanto fazemos outras coisas! Depois é só colocar o bife no grill e tá tudo pronto. Assim, teremos muito mais tempo um para o outro!

Temos aqui, uma “culinária de tomada”, é só plugar! Ela convenientemente convence o marido a adquirir um par dessas praticidades, claro que com a preocupação de não ser taxada de preguiçosa, pois, tratando-se de forno e fogão, a sogra é uma excelente cozinheira, e totalmente avessa a tecnologias – com muita dificultade ainda aceita microondas para fazer pipoca de saquinho.

― Claro, Vida! Quero você o mais longe possível da cozinha!

Ponto para ela. Quanto mais longe da cozinha, mais tempo no facebook. Se pudesse entraria lá só para ligar e desligar o microondas, já que tudo fica uma delícia feito nele, principalmente em se tratando de lasanha semi-pronta.

E voltando ao poder de convencimento...

― Vida! Comprei um presente para nós... Última geração, som e imagens de alta definição, tem acesso a Internet, grava e reproduz blu-ray, disco ótico e pode armazenar até 160 GB!

“O que será? Temos em nossa casa tudo de mais moderno, TV, computador, som, home theater...” Ela pensa. Ele continha:

― Lembre-se que nosso casamento foi gravado em DVD comum e em blu-ray e ainda não o vimos em blu-ray! Estou curioso para ver como que é. Não poderia perder essa oportunidade!

― Mô, estou confusa. O álbum de fotos do nosso casamento, a cada passada de dedo, você virava duas ou três fotos ao mesmo tempo, numa tentativa de encurtar sua impaciência. Acho que quando fizermos dez anos de casados, e você por um breve momento olhar nosso álbum, é bem capaz de pensar que está sem memória, pois haverá fotos inéditas para você. Quando coloquei o nosso DVD e comecei a falar dos detalhes das roupas dos convidados e fofocar sobre outras coisas, você já estava babando verde. Agora vem me falar que quer ver tudo de novo? E em blue-ray?!

― E tem dois joystics... continuou ele.

― Ah, não! Não acredito que você comprou isso! Se era para ver nosso blu-ray, que comprasse um aparelho para tal. Agora, um... um vídeo game? E ainda tem a cara-de-pau de falar que é um presente para “nós”? Para nós!? Um vídeo game? Onde é que eu entro nisso?

― Vida, não é vídeo game! É blu-ray que armazena dados, dá para ver DVD e até serve para jogar!!! Além disso, um joystick é seu e o outro é meu!

Algum tempo depois, com a chegada do “presente”, ele fez questão de assistir, ao lado da amada, por duas horas, o blu-ray do casamento. Fez comentários pertinentes e prometeu comprar alguns filmes românticos para passarem bons momentos juntos, assistindo a tudo com todos os detalhes que a nova tecnologia proporcionava. Isso a deixou muito feliz, ele parecia outro!

Realmente mais filmes foram comprados, e ele sempre pedia para ela esperar só um pouquinho, pois estava testando novos jogos. Os dois joystics? Foram usados sim, porém não por ela. Um deles apresentou defeito logo, devido ao afundamento dos botões por uso em excesso. Quanto aos filmes...

(Autoria de CBS, amigo e colaborador)

Nenhum comentário:

Postar um comentário