quinta-feira, 3 de maio de 2012

O TEMPO DOS 30


― Tia, você fala muito difícil!

E eu pensava que era a pessoa mais simplificada do mundo. Não existe quem possa nos entender como nós mesmos. Isso às vezes nos faz muito solitários, agora está mais do que claro. Minha geração e a da minha sobrinha de 14 anos, mesmo tão próximas, já não se entendem direito. A gente divide o mesmo mundo, mas não a mesma rotação.

Estaríamos menos sozinhos se fôssemos mudos? Teríamos mais atenção, seríamos mais interessantes se exigíssimos um do outro mais do que audição ou visão separadamente? Mas para quê? Quanto mais O tempo passa, mais estranha se torna a humanidade para mim.

É, fiz aniversário. Cheguei na crise dos 30.
**