quarta-feira, 28 de setembro de 2011

3 E VINTE

lá teu sono assisto
em noite serena
da manhã sorriso
cá saudoso acena

(Linhas que viajaram 7750km, enviadas pelo meu namorado, às 3:45 da manhã: penosas 216 horas após beijo de despedida.)


TÍTULO DE ÁLBUM

Viver cada segundo como nunca mais.
Vinícius diz, nós já sabíamos.
Já lembrávamos que há amanhã,
E que vai passado e vira ontem.
O que sobra são marcas na pele,
Histórias efêmeras de dez mil e uma noites,
Sobra tudo o que é importante
Em segundos como nunca mais.
E se vão em bits orgânicos
Para o sonho que alimenta nosso delírio.
Desde o início certo, há o amanhã,
Além do mesmo sempre, e termina
Feito de segundos como nunca mais.
Após segundos marcados,
Segundos descompassados,
Segundos imortais.

**
(Resposta da Nina ao namorado-quase-poeta.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário